quinta-feira, 12 de agosto de 2010

O Óbvio

Saudações Internautas (esta palavra soa-me tanto a século XX)! Aqui estou eu, mais uma vez, para relatar mais um assunto do vosso interesse, ou não. Hoje vou falar do óbvio. Segundo o dicionário, o óbvio é aquilo “que salta à vista”, “evidente”. Bem, o que eu concluo é que o ser humano tem a necessidade de dizer a todo o tempo coisas evidentes… Porquê? Não sei… Mas vou analisar…
Vou dar um exemplo prático, talvez assim percebam melhor o que eu quero dizer com esta história do óbvio. Imaginem uma conversa telefónica:

- Estou sim? Quem fala?
-Sou eu.

PARABÉNS!!! Quem mais poderia ser? Acabaste de ganhar o prémio da expressão óbvia do dia (quem está a ler isto deve estar provavelmente a questionar-se se já fez isso, o que é muito provável). Mas pronto, neste caso, ainda se pode dar um desconto… Ah e tal conseguiu identificar a voz… Ok, eu ainda consigo tolerar estes casos. Mas analisemos o próximo.

Imaginem que estão chegando a casa num dia de escola muito cansativo em que tiveram um teste qualquer que vos correu extremamente mal. A vossa mãe vê-vos a entrar em casa e pergunta:

- Então já chegaste?
E é nesta altura que tu respondes:
- Não, sou um holograma!

Digam-me lá se isto não é obviamente ridículo? Ainda por cima num daqueles dias que tudo nos irrita… Arghhh… Não percebo a necessidade de dizer coisas óbvias!
Ainda assim os momentos óbvios não se restringem a situações do nosso quotidiano. Imaginem aqueles filmes de do Steven Seagal ou do Jean-Claude Van Damme da década de 90. Em 90% dos casos a cena final do filme tem a seguinte descrição: a moça do herói está presa nas garras do vilão que pretende mandar um ataque nuclear qualquer. Mas, quando tudo parece perdido, o herói aparece salvando a rapariga dos seus sonhos e matando o mauzão. Normalmente o guião é algo deste género:

Herói – Aqui estou eu!
Vilão - Não pode ser!! Vais morrer!

Não sei se repararam, mas aqui acontece um fenómeno impressionante: num espaço de tempo tão pequeno aparecem duas expressões óbvias. Sim claro que ele está ali, e sim claro que vai morrer, a não ser que tenha descoberto alguma fórmula científica maravilha que não o faça envelhecer! Eu sinceramente já não sei se hei de achar isto estúpido ou cómico… Mas a única coisa que consigo concluir com isto é que o homem é capaz das coisas mais inteligentes e ao mesmo tempo das coisas mais inúteis, e precisa de ambas para viver… Isto é sem dúvida um mundo feito de opostos!
Bem, antes de se livrarem de mim (isto se tiverem lido o meu artigo até aqui, o que já é muito bom!) queria só mencionar que uma das coisas que me impulsionou para fazer esta postagem foi um artigo da Disciclopédia (para quem não sabe é um género de paródia da Wikipédia). A Disciclopédia criou um género de personagem mítica chamada Capitão Óbvio para ironizar todas as nossas expressões demasiadamente evidentes. Aconselho-vos a procurar mais informação sobre o Capitão Óbvio se gostam deste tipo de humor mais alternativo!
E agora assim vos deixo meus caros Internautas… Até à próxima, se é que isso vai existir!

7 comentários:

  1. Capitão óbvio ao poder!
    "Então tás aqui?? Não, sou um virus informático! " =P

    ResponderExcluir
  2. LOOL, lembrei-me de outra coisa bastante obvia, ligam-nos para casa e perguntam "estás em casa?" adoroo :)

    Gostei do blog, beijinhos *

    ResponderExcluir
  3. De rir :)
    Gostei bastante do blog.

    ResponderExcluir
  4. humor, realidade e ficção ! perfeito LOL

    ResponderExcluir